A Revolução na Monitorização do Diabetes

No dia 20 de Outubro, tivemos a presença em Londrina do Dr. André Daher Vianna, médico endocrinologista, professor da faculdade de Medicina da PUC-PR ( Curitiba) e diretor do Centro de Diabetes de Curitiba, que fez uma apresentação sobre um produto que promete revolucionar o tratamento e o monitoramento do diabetes. Se trata do sensor contínuo de glicemias Free Style Libre®. Esse sensor de glicemia veio para facilitar a vida do paciente com diabetes que precisa monitorizar a glicemia várias vezes por dia.

Com o Free Style Libre® é possível medir glicemias a qualquer hora do dia, quantas vezes quiser, sem precisar picar o dedo como é feito ainda atualmente com os monitores de glicemia de ponta de dedo. O sensor fica embaixo da pele e só precisa ser trocado a cada 14 dias através de procedimento simples e praticamente indolor. Também é possível fazer o download das glicemias no leitor e depois baixar para o computador pessoal onde são gerados gráficos do comportamento da glicemia. Assim será possível interpretar melhor o comportamento das glicemias nos diferentes horários do dia.

É o fim da necessidade de anotações das glicemias em um caderno. Portanto, facilitará a vida do paciente e do médico que necessita da interpretação das glicemias para promover melhorias no tratamento, principalmente nos pacientes usuários de insulina.

O Freestyle Libre® já está disponível na Europa onde tem feito muito sucesso a ponto de o laboratório produtor não ter conseguido atender a demanda e não ter conseguido trazer o produto para o Brasil esse ano como era programado. Está previsto a chegada do produto no Brasil ano que vem.  Estamos esperando ansiosamente.

 

Pâncreas artificial: o que temos de novidade?

 

O chamado “pâncreas artificial” é um sistema (bomba) de infusão contínua de insulina associado a um sensor de glicemia. Ambos são instalados através de cateter no tecido adiposo subcutâneo que faz ao mesmo tempo a medição de glicemia e a infusão de insulina, automaticamente, sem a necessidade da intervenção do paciente.

É uma terapia promissora para o paciente portador de diabetes tipo 1.

Já existe no mercado a bomba de infusão contínua de insulina associado ao sensor de glicemia. Porém, há necessidade de pré-ajuste da infusão de insulina durante as 24 horas do dia e do comando do paciente para a infusão de insulina adicional nas refeições. No caso do “pâncreas artificial”, a bomba de insulina faz o ajuste automático da infusão de insulina. De acordo com a glicemia do momento e do tipo de refeição do momento. Estão sendo feitos estudos para comprovar a eficácia e segurança dessa modalidade de tratamento.

Acabou de ser apresentado esse mês no Congresso Europeu de Diabetes um estudo de 3 meses de duração com a comparação do “pâncreas artificial”, (ainda não disponível comercialmente) a bomba de infusão de insulina associada a sensor não automática (já disponível comercialmente). Nesse estudo foi demonstrado que esse novo sistema foi mais eficaz em melhorar o controle de glicemia, diminuindo as hiperglicemias e hipoglicemias.

Antes desse estudo, tínhamos resultados de estudos de menor duração e em ambientes controlados (acampamentos com alimentação e atividade física controlada e supervisão médica). Essa forma de tratamento promete trazer mais liberdade e tranquilidade para o paciente com diabetes tipo 1.

Esperamos que isso se confirme e que possamos em breve contar com essa nova modalidade de tratamento.